Uma carta para o céu

Foto por Leco Vilela

Olhar pela janela se tornou um hábito engraçado para mim. É que o céu ultimamente tem brincado de aquarela, pena que São Paulo é um potinho impermeável e não aceita a água que escorre do pincel. Uma ou duas pinceladas e pronto o pote já está cheio d’água.

Ah que bom seria se junto com essa água toda viesse um patinho de borracha, e que a água fosse limpa ao ponto de eu abrir a boca pro céu e me colorir por dentro, mas sabe como é que é né! Água com muita tinta, mistura e fica cinza.

E em quanto o céu brinca de se pintar em nuvens, as pessoas aqui embaixo brincam de chover pelos olhos, pois sem querer o céu jogou o potinho cheio d’água com tudo dentro pelo ralo.

6 Comments

  1. Lindo, lindo!
    E muitas cores juntas dá cinza…. agora tá tudo explicado… bom vc me lembrar disso! Eu tava querendo passar muito rapido das multi-cores ao neutro…

  2. Adorei a foto… e o texto, claro..
    O céu é um garoto espivetado malandro para caramba…

  3. Creio que, neste texto, tu estejas abordando as atuais enchentes que assolam SP… Bem interessante. É sempre válido abordar temas sociais. É um modo sucinto e simples de despertar as pessoas para a realidade.
    Ah, e agradeço pela visita e pelos comentários no Poemas & Poesias Avulsos. Volte sempre. =]

  4. Tempos onde o estar metade cheio é visto com olhos preocupados.

  5. eu li o texto e sei que ele é lindo. mas eu não consigo tirar os olhos dessa foto… gente… que coisa mais incrível!

  6. Pois é! Atualmente em São Paulo, só patinhos biodegradáveis.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.