Sinto…

Foto: Leco Vilela / Edição: Camila Stella
Sinto falta de um país singelo, sem medo e com zelo pela alma alheia. Sinto falta dos bons tempos de menino, onde o pique era um poste e não blindagem para te proteger dos inimigos.
Sinto falta de acordar ao som de pássaros no pé da minha janela, sinto falta de sentir a respiração do vento, de ouvir a árvore falar. Sinto falta das sutilezas, dos detalhes, do tempo.
Saudosismo que não é só meu, que vejo em vários cantos e ouço em outros cantos. Esse jeito de viver a vida assim calado, amado, mesmo que por si, é um jeito nostálgico de querer de volta a vida que me foi roubada, é do sútil que tenho falta.
Daquele sorriso faltando um dente de leite, do cheiro de bolo a gritar no forno, sinto falta não da minha juventude, nem dos meus tempos de menino, sinto falta é das crianças que enxergam vilas em caixas de sapato.
Parece que de um jeito torto o mundo perdeu o posto, perdeu respeito, perdeu amor. Parece que no fundo do mundo só a lava e não outro mundo, como há tempos atrás se dizia. Parece que tudo perdeu a magia. E aquele menino mirrado, que mesmo apanhando continuava a conversar com a sua árvore, ficou esquecido e empoeirado nas estantes do tempo.
Sinto. Por isso escrevo este manifesto de peito aberto, pela retomada do simples afeto, pela volta de algo simplesmente belo, por algo simples e não complexo.
Foto: Leco Vilela / Edição: Camila Stella

5 Comments

  1. Afeto =*

    Muito tocante, mas dá uma tristeza pensar que nos seus bons tempos já havia alguém que sentia tanto quanto você, que para cada momento haverá um sentidor e que as coisas nunca mudam demais de figura… =/

  2. Sensível vc. Acho lindo.Falta sentido nas pessoas, coisas que vao descolorindo conforme os anos. Bom seria se alguns sentimentos fossem feito fotografia no album, eu acredito que sao. Vai do teu zelo por elas…

    Um garnde SIM a simplicidade!

  3. Caraca adorei .. chegou até me dar aquela dorzinha no peito, sabe? .. Quase caindo aquela lágrima forçada. Eu também sinto falta!

  4. "…por algo simples e não complexo." isso é tudo e tão mais que tudo!

    (eu ainda acredito e sempre acreditarei!)

  5. Sensações dignas de um leitor de Lúcio Cardoso. Já leu "O Desconhecido"?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *