Skip to content

Como estragar um filme ‘Do começo ao fim’

Last updated on 20 de outubro de 2016

Um filme com um tema central forte, trás atona a relação incestuosa de dois irmãos, filhos de pais diferentes mas da mesma mãe.
Com participação de Julia Lemmertz e direção de Aluizio Abranches, “Do começo ao fim” que tinha tudo pra ser um dos maiores filmes do ano no cenário brasileiro, acabou se tornando sem dúvida nenhuma um dos maiores fracassos desse segmento.
Acho que todos aqui acompanharam o BOOM de links do youtube passando o trailler da relação de incesto entre esses dois irmãos, a assim com eu muitos ficaram intrigados e ansiosos para assistir o tal filme. Confesso que demorei à assistir esse filme, pois a crítica foi bem afiado com relação a ele e agora entendo por que. Com erros de continuidade, roteiro e direção bem visíveis a qualquer um, inclusive os mais leigos com relação a sétima arte, o filme que tanto prometia foi desmoronado logo nos primeiros 10 minutos de filme. Com imagens de nudez gratuita apelando para um interpretação mais etéria do que seria essa relação proibida, as imagens acabam por não comportar a intenção principal.

É de base pra todos que estudam a função dramática que pra se existir uma história é necessário um conflito principal, e era de se esperar no mínimo que esse conflito fosse a relação desses irmãos e não o fato de um deles ir pra Rússia. A impressão que temos como espectadores é que o filme não passa de um curta que foi prolongado para executar suas 1h30 de existência. Um dos detalhes mais engraçados e sórdidos é o fato dos pais e o micro organismo social que envolve essa relação não dar a mínima pro fato de serem dois irmãos numa relação sexual, longe de mim ser moralista mas entendo o processo de catarse dos personagens e realmente era necessário um conflito desse tipo pra ai sim Francisco poder correr atrás de seu irmão e amor Thomás na Rússia.

Ficamos então a espera de novas coisas, novos personagens, novos diretores, que tenham no minimo o culhão necessário pra se fazer um filme decente e que realmente merece um tema como esse, esperamos também que assim como esse filme que teve a coragem de existir que muitos outros com assuntos mais polemicos até se desenvolvam em terras brasileiras.

2 Comments

  1. Não fui ver este filme. E também senti a mesma apreensão inicial que você ao ver o início do bafão sobre o filme. Todo mundo falando do filme e fazendo análises através do trailer. Eu comecei a fazer as mesmas análises, mas achei precipitado.
    Agora uma galera vendo o filme e comentando a mesma coisa: Uma merda. Depois comecei a me acostumar e a realmente refletir sobre que se fosse uma história heterossexual, não chocaria nada. O choque inicial é interessante, mas tem que acompanhar uma história muito bem montada.
    E história por aí é o que não falta. Basta abrir um livro do Caio Fernando Abreu ou da Hilda Hilst.

  2. KKKKK Leco! Você não é lá uma fonte inspiradora para mim, mas vou me esforçar pra te escrever um poema.
    Abração!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.