Skip to content

Coxas

Last updated on 20 de outubro de 2016

Prefiro te ver com o sol entrando pela janela do quarto, do que te ver como um sonho efêmero. Prefiro seu cheiro no travesseiro do lado, do que achar você em outros braços. Prefiro ser o beija-flor, que volta todo o dia pra te beijar os lábios.

A verdade é que entre tantas cartas de amor desesperadas, me vejo a te querer de forma simples e te querendo nos mínimos detalhes te libertar pra mim. Quero te dizer coisas leves e olhar em teus olhos doces. Quero o peso da sua mão na coxa.
Algumas coisas só cabem ao amor literário, que encorpado e forte como um vinho, quente e ardente como a vela na mesa de centro, te vira os olhos enquanto a noite cai.

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.